Liberdade ao povo negro - 13 de maio



Mesmo depois de mais de um século, constata-se o impacto da falsa abolição na vida do povo negro. Realmente existe liberdade para pessoas negras no Brasil?


Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística de 2016 mostram que entre os 10% mais pobres da população brasileira, 78,5% são negros (pretos ou pardos), contra 20,8% brancos.  Essa exclusão social é reflexo da escravidão e pós abolição, visto que não implementaram medidas para inserir a comunidade negra na sociedade. Não tiveram ações para o acesso a terra e moradia, além de que a disputa do mercado de trabalho com imigrantes, majoritariamente europeus e seus descendentes, foi socialmente injusta ao longo da história.


''Mas minha alma resiste e o meu corpo é bom de luta, eu sei o que é bom e o que é bom deve ser meu". Esse trecho do canto feito no Congresso Nacional por Lazo Matumbi, em 2019, expressa artisticamente a resistência histórica das negras e negros brasileiros na busca e conquista de direitos em todas as esferas. Diariamente, a população negra luta e resiste contra os descasos e planos destrutivos de um sistema liderado por pessoas brancas privilegiadas e racistas.