Mestre Aurino e o Forró Quilombola


O Forró do Remanso existe desde o tempo de Justino Pereira, Seu Binô, pai de Mestre Aurino Pereira. A comunidade do Remanso surgiu nas margens do rio Santo Antônio na comarca de Andaraí no Pantanal do Marimbus. Mas o povo fez a travessia do rio para morar do outro lado do pantanal na comarca de Lençóis, inspirado pelo sonho de Seu Manoelzinho Pereira da Silva, primo de Seu Binô, de conquistar uma terra própria e parar de trabalhar na Fazenda Lagoa do Limão.

Aurino conta que nasceu em 1945 na fazenda, mas cresceu na comunidade do Remanso aprendendo a lidar com a terra e com a pesca tradicional para seu alimento e de sua família. Não foi fácil a conquista da terra, mas a comunidade resistiu, permaneceu e criou seu próprio modo de vida.

O pai de Aurino animava as festas da comunidade deixando o filho apaixonado pela sanfona de oito baixos. Quando Seu Binô ia trabalhar na roça, Aurino contava com a ajuda de sua mãe para pegar a sanfona no baú que ficava em cima do guarda-roupa e tocar escondido.

Próximo do horário de Seu Binô voltar, o menino Aurino guardava o instrumento trancado no baú da mesma forma como estava antes. Só que às vezes o pai percebia algo estranho e perguntava a sua esposa "Madalena, alguém mexeu na minha sanfona!?`` E ela respondia que não.